CONTEXTO

É na margem direita do Rio Jacuí, apelidado de “Amazonas do Rio Grande” que a Mina Guaíba, da empresa Copelmi, pretende se instalar. Já começa esquisito: uma mina de carvão ao lado do Parque Estadual Delta do Jacuí, uma área de conservação? Se instalada, a mina vai liberar gases do efeito estufa, como metano e gás carbônico - e tudo isso a menos de 20 km do Centro de Porto Alegre, por até 30 anos - para teres uma ideia, tão pertinho quanto o Campus do Vale.
Por mais que a Copelmi diga o contrário, o processo de mineração de carvão jamais será limpo. Além disso, a fiscalização insuficiente - que resultou nos recentes e terríveis episódios em Mariana e Brumadinho - nos deixa ainda mais alarmados.
Um fato passado também motiva nossa luta: nos anos 70, porto-alegrenses se juntaram para impedir a papeleira Borregaard de poluir a cidade. Venceram. Agora, estamos diante de uma nova ameaça mais grave. Precisamos entender que a Mina Guaíba teria um impacto muito maior no meio ambiente e, por consequência, na saúde da população.
Não é alarmismo, não. Espia só:









OLHA O PERIGO

Os riscos de contaminação da água do Jacuí e de todo o Guaíba são altíssimos, senão inevitáveis. Toda a atividade industrial, química e petroquímica causará impacto nas águas do nosso - já poluído - Guaíba. É preciso entender que Porto Alegre não tem outro manancial de abastecimento, caso aconteça algum acidente.
O carvão mineral é, simplesmente, o pior combustível de todos. Entre outros malefícios, ele possui gases tóxicos que prejudicam o trato respiratório. No mundo, segundo dados da ONU, morrem mais de sete milhões de pessoas devido à poluição atmosférica.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

Se ao mesmo tempo é um pouco triste termos que reunir mais de 9 mil emails para pressionar a COPELMI e a FEPAM a darem explicações a respeito de um empreendimento que, inevitavelmente, irá impactar nossas vidas, pelos menos a mobilização deu certo: sim, habemus audiência p ública!
O debate será no dia 20 de agosto, das 18h às 24h, no Auditório do Ministério Público Estadual (Aureliano de Figueiredo Pinto, 80) em Porto Alegre. A audiência será aberta ao público, que poderá se manifestar mediante inscrição prévia. Tu podes te inscrever aqui!

O carvão mineral é, simplesmente, o pior combustível de todos. Isso não é alarmismo. Entre outros malefícios, ele possui gases tóxicos que prejudicam o trato respiratório. No mundo, segundo dados da ONU, morrem mais de sete milhões de pessoas devido à poluição atmosférica. Se, como a Copelmi argumenta, a Mina Guaíba não representa nenhum risco para a nossa saúde e para o meio ambiente, então o mínimo que ela precisa fazer é dialogar conosco, certo?
Essa é uma vitória com um sabor um pouco agridoce… Às vezes, pedir algo que deveria ser natural para um órgão público fazer - FEPAM - nos dá a sensação, na Minha Porto Alegre, de estar eternamente nadando contra corrente. De qualquer forma: vamos continuar a nadar!
Não deixa de fazer valer a tua voz e a tua vez dia 20 de agosto! E te liga: nós ganhamos a batalha, mas a guerra continua. Compartilha nas tuas redes essa conquista da ação coletiva!
 


















POR QUE A MINHA PORTO ALEGRE ENTROU NESSA?

O processo de mineração está sendo abandonado pelo mundo todo. Mais de 50 entidades ambientais, sindicais, associativas e movimentos sociais fundaram o Comitê de combate à mega-mineração no Rio Grande do Sul. Queremos somar nesse diálogo porque acreditamos numa cidade mais sustentável pras próximas gerações. Vamos garantir nosso direito à informação, ao diálogo?

Referências: