CONTEXTO

É na margem direita do Rio Jacuí, apelidado de “Amazonas do Rio Grande” que a Mina Guaíba, da empresa Copelmi, pretende se instalar. Já começa esquisito: uma mina de carvão ao lado do Parque Estadual Delta do Jacuí, uma área de conservação? Se instalada, a mina vai liberar gases do efeito estufa, como metano e gás carbônico - e tudo isso a menos de 20 km do Centro de Porto Alegre, por até 30 anos - para teres uma ideia, tão pertinho quanto o Campus do Vale.
Por mais que a Copelmi diga o contrário, o processo de mineração de carvão jamais será limpo. Além disso, a fiscalização insuficiente - que resultou nos recentes e terríveis episódios em Mariana e Brumadinho - nos deixa ainda mais alarmados.
Um fato passado também motiva nossa luta: nos anos 70, porto-alegrenses se juntaram para impedir a papeleira Borregaard de poluir a cidade. Venceram. Agora, estamos diante de uma nova ameaça mais grave. Precisamos entender que a Mina Guaíba teria um impacto muito maior no meio ambiente e, por consequência, na saúde da população.
Não é alarmismo, não. Espia só:









OLHA O PERIGO

Os riscos de contaminação da água do Jacuí e de todo o Guaíba são altíssimos, senão inevitáveis. Toda a atividade industrial, química e petroquímica causará impacto nas águas do nosso - já poluído - Guaíba. É preciso entender que Porto Alegre não tem outro manancial de abastecimento, caso aconteça algum acidente.
O carvão mineral é, simplesmente, o pior combustível de todos. Entre outros malefícios, ele possui gases tóxicos que prejudicam o trato respiratório. No mundo, segundo dados da ONU, morrem mais de sete milhões de pessoas devido à poluição atmosférica.


Envie um email para quem pode tomar essa decisão

Who will you press? (6 targets)
Pessoas pressionaram
Depois de saber disso tudo, certamente muitas pessoas ficaram preocupadas com os impactos da mineradora para o meio ambiente e para a saúde da nossa população.

A grande questão é:por que não foi feita sequer uma audiência pública em Porto Alegre para informar e debater com a população sobre o projeto?

Vale lembrar, está previsto na Constituição que a população tem direito ao esclarecimento sobre questões como essa, que afetam diretamente a vida das pessoas que vivem perto da área explorada.

Dia 27/06 foi feita uma audiência em Eldorado do Sul e dia 11/07 haverá uma em Guaíba - a Mina Guaíba pretende se instalar entre Eldorado do Sul e Charqueadas, mas a Copelmi parece relutante em fazer uma audiência em Porto Alegre. No mínimo estranho, não é mesmo?

Vamos pressionar a Fepam para cobrar uma audiência pública, o mínimo que pode ser feito considerando a dimensão dos danos do projeto! Os porto-alegrenses também querem ter voz no debate sobre a instalação da Mina Guaíba!



















POR QUE A MINHA PORTO ALEGRE ENTROU NESSA?

O processo de mineração está sendo abandonado pelo mundo todo. Mais de 50 entidades ambientais, sindicais, associativas e movimentos sociais fundaram o Comitê de combate à mega-mineração no Rio Grande do Sul. Queremos somar nesse diálogo porque acreditamos numa cidade mais sustentável pras próximas gerações. Vamos garantir nosso direito à informação, ao diálogo?

Referências: